17 novembro 2009

Cecilia Meirelles

No mistério do Sem-Fim

equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,

e, no jardim, um canteiro:

no canteiro, uma violeta,

e, sobre ela, o dia inteiro

,entre o planeta e o Sem-Fim,

a asa de uma borboleta

3 comentários:

redatozim disse...

duca

Micho en el pais de las maravillas disse...

Eu achei também!

Renata disse...

Por falar em borboleta... sentimos a falta de vocês no niver da Anne.